Memória Resgatada, de Armindo Cardoso

Memória Resgatada, de Armindo Cardoso
05/01/2018 a 25/02/2018

As fotografias expostas são o resultado de um olhar singular sobre o período mais marcante da história recente do Chile. O seu intervalo cronológico é de Setembro de 1970 a Setembro de 1973, correspondendo ao período do governo de Unidade Popular iniciado com a eleição de Salvador Allende e terminado dramaticamente com o golpe de Pinochet. Este estabeleceu um regime ditatorial, repressivo e autoritário.

Os factos históricos, objeto do olhar do fotógrafo, ainda estão presentes na memória coletiva. 
Os trabalhos apresentados têm para as gerações menos jovens o efeito de reconduzir a uma viagem pela memória, recuperando uma das iconografias políticas mais marcantes do século XX.
O olhar do autor não é neutro. É, na linha de todo o seu percurso pessoal, um ato de compromisso, uma tomada de posição, a reivindicação de uma postura ideológica. 
Os protagonistas individuais e coletivos que o fotógrafo revela e com os quais se identifica são os que, antes de Setembro de 1970, não “contavam” na história do Chile. Eram os esquecidos e sem voz – os ignorados. 
Sob a superfície aparentemente “congelada” de cada foto sente-se o pulsar das paixões, o movimento dos combates políticos, a ebulição da História.
Os que morreram têm uma segunda morte quando os apagamos da memória coletiva. 
O conjunto destes trabalhos, além de um testemunho, é também um manifesto e uma luta contra o olvido.
Exposição
Título:
Comentário: