MANTA | 2018
23/08/2018
Ritual cultural e social, o Manta é um palco de relvado inteiro com horizonte entre o Castelo e o CCVF, um mundo constituído por arte, natureza, arquitetura e interação comunitária.
Tudo começará nos mágicos dedos de Joana Gama, reconhecida pianista e compositora, que nesta edição terá participação dupla ao inaugurar uma nova área do festival para um público mais jovem, no sábado à tarde. Mas antes disso ouvi-la-emos abrir o Manta 2018 e criar atmosferas para a entrada dos Mão Morta, lendária banda nacional, que aceitou o desafio de preparar para o festival um concerto especial baseado no seu reportório mais ambiental e imersivo, onde haverá lugar para a antestreia de novas composições. E assim se inscreverá na (sua) longa linha de vida mais um particular momento artístico.
Na segunda noite, o Manta será lugar de forte manifestação da criatividade feminina, a começar com a prestação da artista brasileira LaBaq, que através de engenho tecnológico e beleza de composição apresentará o seu sedutor universo de canções internacionalmente aclamadas. Depois o céu ficará mais estrelado e entrará em palco Scout Niblett, que por imensa saudade a quisemos fazer regressar e logo no melhor cenário possível. Artista inglesa radicada nos Estados Unidos, Niblett visita-nos para um concerto exclusivo trazendo-nos à pele e ao espírito, a experiência grandiosa do seu olhar criador. Esta soma de fatores faz do Manta o ponto de encontro obrigatório no regresso à cidade e também o contexto ideal para o lançamento da nova temporada cultural em Guimarães.
Setembro é pois nome de código feliz.
 
ENTRADA LIVRE