Agenda +

Q*Mostra Showcase & Networking – Music

Do post-rock ao blues, passando pela bossa nova ou mesmo pelo metal, dezoito bandas oriundas dos municípios de Barcelos, Braga, Famalicão e Guimarães apresentar-se-ão num formato showcase nos dias 18 e 19 de Setembro em dois espaços emblemáticos ...

mais...
Q*Mostra Showcase & Networking – Music
fechar

 

 

A Q* Mostra Showcase & Networking - Music, iniciativa promovida pelo Quadrilátero, associação composta pelos municípios de Barcelos, Braga, Famalicão e Guimarães pretende promover e divulgar o que de melhor se faz no campo da música nestes municípios a programadores, produtores, diretores de festivais, agentes e agências de booking de todo o país e de toda a Europa.


Networking é assim a palavra de ordem da primeira edição desta iniciativa que assume também tons de missão e compromisso em promover e internacionalizar um setor em franco crescimento na região e de extrema e simbólica relevância para a mesma.


O evento será ainda aberto ao público através da disponibilização gratuita de 25 bilhetes mediante pré-reserva junto aos espaços que acolherão o mesmo.

 

 

MAFALDA VEIGA

Theatro Circo “Todas as palavras tocam” 19 Setembro, sexta, 21h30, Sala Principal 15 € | Cartão Quadrilátero: 7,5 € M6

mais...
MAFALDA VEIGA
fechar

 É escritora de canções, das que se transformam nas próprias histórias de quem as ouve, e é essa capacidade de as contar que a liga de uma forma única ao público. Nos últimos 15 anos tem esgotado as salas onde se apresenta ao vivo e 2014 não tem sido exceção. Para Mafalda Veiga, o ano começou com o regresso à intimidade das canções através de “Todas as palavras tocam”, um espetáculo acústico em que as palavras de cada tema ficam mais à superfície, mais visíveis, capazes de ser tocadas e de tocar, nesse caminho único, tão misteriosamente evocativo e extraordinário, que é a música. Para a noite no Theatro Circo, para além da convidada especial Sara Tavares, Mafalda escolheu a companhia do extraordinário talento e sensibilidade de Filipe Raposo no piano, acordeão e arranjos, de Lars Arens no trombone e eufónio e de Cláudio Silva no trompete e flugel. A escolha do alinhamento, com algumas surpresas à mistura, terá como critério a relação de afeto da autora com as suas próprias canções e com o público que sempre as tornou uma “coisa sua”. Fica a certeza de um espetáculo “nosso”.

Apoio: Rádio Comercial

GNR

27/09/2014 21:30H Parque da Devesa - Anfiteatro Entrada livre

mais...
GNR
fechar

Rui Reininho, Toli César Machado, Jorge Romão Nos idos de 1981, a Guarda Nacional Republicana não achava grande graça a ter visto a sua sigla usurpada, sem vergonha de espécie nenhuma, por três putos reguilas do Porto que proclamavam alto e bom som querer ver “Portugal na CEE”. Convencidos que a celebridade dos mancebos não ia passar de um daqueles fogachos pré-mediáticos a GNR não apresentou queixa e os GNR puderam continuar a usar a sigla, que encurtava o extenso de “Grupo Novo Rock”. Foi mesmo das poucas polémicas que passaram ao lado de uma banda que, a certa altura, parecia atraí-las como se fosse um íman. Todos estes anos depois — e será possível que já tenham passado mais de vinte? — os GNR são uma veneranda instituição civil da praça pública pop portuguesa. Há quem os ame e quem os odeie. Mas, já dizia o outro, contra factos não há argumentos e basta desfiar uma lista (mesmo que parcial) de canções para marcar com o proverbial X do totobola a “chave vencedora”: “Portugal na CEE”. “Hardcore (1º Escalão)”. “Piloto automático”. “I Don’t Feel Funky (Anymore)”. “Dunas”. “Sete Naves”. “Efectivamente”. “Pós Modernos”. “Impressões Digitais”. “Sangue Oculto”. “Ana Lee”. “Pronúncia do Norte”. “Sub-16”. “Mais Vale Nunca”. “Las Vagas”. “Dominó”. “Saliva”. “Tirana”. “Asas (Eléctricas)”. “Popless”. Faltam muitas, não faltam? Reduzidos agora — e definitivamente — ao trio central de Reininho, Romão e Machado, estes GNR poderiam já não ter o entusiasmo irreverente dos primórdios (o que seria difícil ao fim de vinte anos…), mas compensavam-no com a descoberta de uma elegância e de uma simplicidade pop de costas deliberadamente voltadas para a moda do momento. Ou, para sintetizar a coisa numa palavra: maturidade. Prolongada em “Popless”, álbum de 2000 que, apesar do título e da exploração dos recantos de charme da voz de Rui Reininho, era tão (ou mais) pop como um disco dos GNR pode ser. O que, como já sabemos desde há mais de vinte anos, é sempre muito — confirme-se em “Câmara Lenta”, de 2002, cujo título resume na perfeição a recolha de baladas e outros slows para “agasalhar a costeleta”. A surpresa foi perceber que eles já os tinham em 1982, muito antes de “Dunas” e “Bellevue”, quando estavam todos a olhar para outro lado. É típico: a marca registada dos GNR foi sempre a de estarem ali, como quem não quer a coisa, e depois apanharem-nos desprevenidos com uma grande canção pop. Daquelas que cola e não descola. O grupo lança em 2010 o disco Retropolitana, último registo de originais até à data. Em 2011 comemoram 30 anos de carreira e lançam “Voos Domésticos” e um novíssimo espetáculo (mais intimista em formato semiacústico). Em 2013, os GNR iniciaram a tour “Afectivamente” nos palcos de todo o país. Em 2014, regressam aos palcos continuando a tour com o mesmo nome; até ao final do ano lançam o single de estreia do novíssimo disco. www.osgnr.com Músicos: Guitarra: Andy Torrence; Teclas: Miguel Amorim; Bateria: Jorge Oliveira

ZOOM CINEMA AO AR LIVRE - PINA DE WIM WENDERS

Uma homenagem a Pina Bausch (1940-2009) pelo aclamado realizador Wim Wenders com coreografia da companhia Tanztheater Wuppertal a partir da obra da coreógrafa alemã.

mais...
ZOOM CINEMA AO AR LIVRE - PINA DE WIM WENDERS
fechar

 

 

Título original: Pina De: Wim Wenders Género: Documentário Classificação: M/12 Outros dados: FRA/ALE, 2011, Cores, 103 min.


Uma homenagem a Pina Bausch (1940-2009) pelo aclamado realizador Wim Wenders com coreografia da companhia Tanztheater Wuppertal a partir da obra da coreógrafa alemã. Traçado à volta de "A Sagração da Primavera", "Café Müller", "Kontakthof" e "Vollmond", as quatro mais famosas peças da coreógrafa, o filme leva-nos numa viagem às profundezas da arte da dança, tendo como cenário a cidade de Wuppertal, Alemanha, que Pina Bausch escolheu para viver os últimos 35 anos da sua vida e que Wenders quis que se tornasse, ela mesma, uma personagem da história a contar.

CINECARTAZ
 
 

PAUL KLEE, PINTOR E MÚSICO

Theatro Circo Música & Artes Visuais 24 Setembro, quarta, 19h00, Salão Nobre 3 € | Cartão Quadrilátero: 1,50 € M6

mais...
PAUL KLEE, PINTOR E MÚSICO
fechar

 Paul Klee (1879-1940), artista - pintor e músico -, é autor de uma obra inédita teórica e pictórica no campo dos paralelismos entre as linguagens das artes. Tendo como pretexto o quadro “Ao estilo de Bach (Im Bachschen stil)”, de 1919, ouvir-se-ão nesta sessão obras de Bach e de outros compositores.

Violoncelo: Jed Barahal | Palestra: Elisa Lessa

"TRIBOS"

8, 9 e 10 de outubro 21:30H Casa das Artes Entrada: 25 euros | Cartão Quadrilátero Cultural: 12,5 euros

mais...
"TRIBOS"
fechar

Pai e Filho encontram-se pela primeira vez em palco no nosso país, com a peça “TRIBOS”. O espetáculo é uma premiada comédia perversa, da autoria de Nina Raine, que promete criar uma inusitada relação com a plateia – entreter, provocar e ao mesmo tempo entregar um extraordinário momento ao público. A autora, de uma forma divertida e politicamente incorreta, usa a personagem de um deficiente auditivo para questionar as diversas limitações do ser humano. Quem será mais surdo? Aquele que não consegue “calar-se” o tempo suficiente para entender uma realidade diferente da sua, ou, aquele que fisicamente é incapaz de receber estímulos auditivos? Existirá surdez maior que o preconceito, o orgulho, a ignorância, o egoísmo ou a falta de amor? TRIBOS, enorme sucesso no Royal Court Theater, em Londres e vencedor do prémio New York Drama Critics, chega agora a Portugal pelas mãos da produtora PLANO 6, com um elenco de luxo, protagonizado por António Fagundes e Bruno Fagundes. Billy (Bruno Fagundes) nasceu surdo no seio de uma família sem deficiências auditivas. Foi criado dentro de um casulo ferozmente idiossincrático e politicamente correto, adaptando-se brilhantemente ao comportamento pouco convencional da sua família. Mas quando Billy conhece Sylvia (Arieta Correia), uma jovem mulher prestes a ficar surda, conhece uma nova realidade. Este será o ponto de viragem que o colocará, assim como ao público, perante a dúvida do que realmente significa pertencer a algum “lugar”. Autor: Nina Raine Encenador: Ulysses Cruz Interpretação: António Fagundes, Bruno Fagundes, Arieta Correia, Eliete Cigaarini, Guilherme Magon, Maíra Dvorek Produção: Plano 6 Nota Importante - O espetáculo começa rigorosamente no horário marcado. Não é permitida a entrada após o seu início. Não há devolução de dinheiro nem troca de bilhetes.

Festa de S. Mateus

Organização: Pároco de Gonça  

mais...
Festa de S. Mateus
fechar

Organização: Pároco de Gonça
 

Notícias + RSS
27 set | 15h00 | "À Descoberta de Braga - Revisitar André Soares"
Visita guiada Inscrições: cultura@cm-braga.pt Ponto de encontro: Praça Municipal
27 set | 15h00 | "À Descoberta de Braga - Revisitar André Soares"
Inscrições: cultura@cm-braga.pt | Ponto de encontro: Praça Municipal
GNR sopram as velas ao Parque da Devesa
O Parque da Devesa, em Vila Nova de Famalicão, vai comemorar, no próximo dia 28 de setembro, o seu segundo aniversário e a data vai ser assinalada com pompa e circunstância com um programa de três dias – 26, 27 e 28. Por entre oficinas, teatro, palestras, espetáculos de música e muita animação, destaque para o concerto dos GNR, na noite de sábado, dia 27, no anfiteatro, com entrada livre.
ORQUESTRA DE GUIMARÃES | 25 de setembro
O Centro Cultural Vila Flor é palco para um concerto da recém-criada Orquestra de Guimarães. Fortemente assente na excelência, a Orquestra de Guimarães procurará ser, a médio prazo, uma...
Top 12 Cultural +
ZOOM CINEMA AO AR LIVRE - PINA DE WIM WENDERS
Uma homenagem a Pina Bausch (1940-2009) pelo aclamado realizador Wim Wenders com coreografia da companhia Tanztheater Wuppertal a partir da obra da coreógrafa alemã.
26 a 28 set | BRAGA BARROCA - 26/09/2014 a 28/09/2014
26 a 28 set | BRAGA BARROCA
BRAGA BARROCA Jornadas Europeias do Património | Dia Mundial do Turismo
WADADA LEO SMITH & ANTHONY DAVIS - 11/10/2014 a 11/10/2014
WADADA LEO SMITH & ANTHONY DAVIS
11 de outubro 21:30H Casa das Artes Entrada: 15 euros | Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 7,5 euros
Exposição de José de Guimarães - 02/01/2012 a 31/12/2014
Exposição de José de Guimarães